sábado, 13 de maio de 2017

Sophia Love: AO MUDARMOS – NOS FRAGMENTAMOS


Ao Mudarmos – Nos Fragmentamos
Sophia Love
03/05/2017

Este post é como uma partilha de uma forma não feita anteriormente. É o método usado ao tentar discernir a raiz da confusão emocional. Esta é a minha própria confusão. Tem sido uma viajem muito calma desde a última semana de março. Hoje eu estava esperando para escrever sobre outras coisas, coisas mundanas e mudanças externas. Em vez disso, este assunto surgiu. Nesta partilha, espera-se que alguns de vocês também possam ser assistidos. As primeiras frases são eu, (meu "eu, ego"); A última parte é uma espécie de fusão. É tanto o eu, como aquela parte de mim que vim a considerar como meu Eu maior.

Minha luta continua e, bem acirrada, dentro de mim. Há um vazio que ninguém pode preencher.

Sim. Você está começando a entender. É o dilema humano, criado ao você vir para este corpo. Formalmente, não há acesso a tudo o que você é.  E assim, você procura, implacavelmente, esse aspecto.

Todo julgamento é um auto-abuso. Todo desconforto  é auto-dirigido. E então, aqueles livres de inibições tornam-se seus maiores professores. Por que você franziu a testa na direção deles?

Não é que haja algo errado com eles, mas com algo que eles representam, nada é dito a você, nem mesmo por você mesmo.

Você se recusa a auto-examinar, pois isso traz uma dor muito maior..

Olhar através do espelho não é possível enquanto humano.

Você é deixado então com o julgamento, e as tentativas do follow-up na retificação - "eu mudarei minha camisa", "eu mudarei a forma", "eu sorrio", "eu não prestarei atenção a esta pessoa, lugar ou coisa que parece causar desconforto e me leva a a gritar em  julgamento". "Eu proíbo ___ ", "vou tentar ser mais difícil", "vou ser bom", e assim por diante, e assim por diante ...

O que resta, tudo o que resta é você. Estando lá, vendo o seu reflexo, considerando que corrigir vai finalmente corrigi-lo para o bem.

Não há tal ajuste. Mude roupas, empregos, cônjuges, amantes, amigos ou casas e AINDA O ESPELHO O PRENDERÁ A MESMA REFLEXÃO.

E agora?

Enquanto o mundo desintegra suas estruturas de escravidão, nós permanecemos com os espelhos na mão.

Este post nos lembra o que é verdadeiro a cada vez. É a resposta à pergunta e a razão pela qual a mudança física nem sempre satisfaz. A verdade não é encontrada no "outro".

Significa que se você olhar além desta imagem ...

Não importa quão grande seja sua casa,
ou quão novo seja seu carro,
ou quão grande seja sua conta bancária,
nossa sepultura terá o mesmo tamanho.
Mantenha-se humilde.
... e dar mais um salto, você vê que nós residimos em uma caixa que não pode conter toda a extensão do que nós somos.

Esta caixa não é um caixão. Esta caixa é um corpo. Esta caixa é ilusória. É a CRENÇA EM SEU VALOR QUE CRIA TANTA MISÉRIA.

Você pode mudar a caixa a qualquer hora, e não tem nenhum efeito em seu valor.

O que é preciso fazer, e chegamos a perceber neste estágio final do nosso processo de ascensão/conscientização que é, deixar ir. Você pode mover-se muito mais facilmente quando você não está pendurado em algo.

Até que você esteja disposto seguir sem qualquer peso, você se manterá sobrecarregado com o julgamento, e preso à caixa.

Deixar ir não significa morrer (embora isso funcione). Significa manter a consciência do valor de cada coisa, a cada vez e, em cada instância. Pode parecer com você se preocupando com sua bondade. Pode parecer como um auto-cuidado. Não coloque hierarquia nas pessoas, mantenha sempre uma única diretiva. Esta diretiva repousa abaixo de todas as suas ações.

Esta diretriz coloca o coração sempre em primeiro lugar. Não defende atividades, conversas ou planos que o afastem da sua soberania, isto seria humilhante. O coração é o começo de tudo, a razão para tudo, a Fonte. Não de qualquer coração – o seu coração.

As últimas 6 semanas de minha vida a viraram de cabeça para baixo. Quatro "trabalhos" foram terminados de maneiras chocantes e inesperadas, quando as circunstâncias, físicas e emocionais, subiram à superfície de onde estavam escondidas por décadas. Enquanto eu navego nestas, chego a uma conclusão, estou me fracionando. Já não posso fingir. Em qualquer lugar.

Não há mais "fingir até sê-lo". É hora de SER. Em cada momento, fico apenas com a verdade. Meu coração não será sufocado, silenciado ou desligado. Ele está olhando para o brilho do nascimento, e não será escondido.

Estou envergonhada, alegre, humilhada e assustada por esse aprendizado. A natureza extrema prediz uma mudança enorme.

Eu não posso fazer isso sozinha (ou fingir fazer). Estamos unidos em nosso âmago, e é hora de confiar em nós mesmos e nos outros. A separação é ilusão.

Acima de tudo, nós amamos. É a fonte desse Amor que explode agora, exigindo seu lugar em nossa vida ilusória. Nossas imaginações mais selvagens estão prestes a serem realizadas.

Soltem-se. Nós viemos para voar.

Nós somos aqueles que estamos esperando.

Obrigado por tudo o que você é.

Com tanto Amor,
~ Sophia


Política de uso:
Por favor, publique este artigo em todos os lugares! Apenas inclua o link da mensagem original. Muito grato.http://www.sophialove.org/my-blog

Sophia Love

Traduzido por Adriano Pereira



Postar um comentário