segunda-feira, 23 de julho de 2018

Owen K Waters: SUA VERDADEIRA NATUREZA INTERIOR.

 SUA VERDADEIRA NATUREZA INTERIOR.
por Owen K Waters

Mais cedo ou mais tarde, todo homem e mulher acordará para o fato de que eles são seres divinos. Apesar da aparência de que somos físicos por natureza, e de que a realidade é filtrada pelas percepções de nossos cérebros físicos, há muito mais em cada ser humano do que seu aspecto físico.

Acima de seu cérebro físico está sua mente, que é um campo de consciência. Dentro desse campo de consciência, você existe como um aspecto da Fonte Divina da qual você veio.

Há muito tempo, você se inseriu na experiência humana. Naqueles dias, nada ainda era físico, e ser humano significava ser uma personalidade especializada com o livre arbítrio para explorar a consciência em maior detalhe do que anteriormente.

Mais tarde, a experiência física foi procurada, pois tornou a experiência de ser uma personalidade única, racional e motivada pelo livre arbítrio ainda mais interessante. Nesse ponto, ser físico, significava viver em uma densidade mais leve do que a versão atual da existência física.

A experiência de ser físico era tão fascinante que, como os jovens animados com um novo e emocionante passeio em um parque de diversões, disseram: "Que tal se tentássemos com as luzes apagadas?" E então as luzes se apagaram.

Hoje, estamos imersos mais profundamente do que nunca na experiência humana de ser físico. Isso inclui estar, aparentemente, cortado do fluxo normal de informações que vem com uma consciência mais elevada, e estamos aqui para encontrar a resposta que está em algum lugar lá fora na escuridão. Ou estará em algum lugar dentro de nós mesmos, em vez de estar em algum lugar lá fora?

Estar desconectado da nossa Luz interior significa que não temos uma consciência inerente da nossa unidade com O Universo. Nós temos que adquirir essa percepção da realidade através da meditação dedicada.

Nós não temos sempre a capacidade telepática de trocar pensamentos e sentimentos com outras formas de vida. A telepatia consciente exige paciência e prática. Nós não estamos sintonizados com as condições da natureza como os animais estão.

Quando uma sacudida de terremoto é iminente ou, um tsunami está vindo em nossa direção, os animais selvagens, de repente, se dirigem para as colinas, e nós ficamos imaginando por que nossos animais de estimação estão ficando agitados.

Como humanos hoje, o que temos é a autoconsciência, o intelecto e a liberdade de escolha. Dentro deste misterioso labirinto das emoções de sermos humanos com as luzes internas desligadas, há um tesouro a ser encontrado. E esse tesouro é a percepção de que a Luz estava lá, o tempo todo, mas estava oculta de nossa vista.

Quando você encontra a sua Luz espiritual interior, ela começa a atraí-lo para os reinos de maior Luz. Então, você está firmemente no caminho da descoberta espiritual. Você está voltando ao longo do caminho para o nível de consciência de onde veio antes do início desse emocionante passeio.

Lembre-se, seu cérebro não é sua mente, e sua mente não é sua personalidade real. Sua alma imortal é sua personalidade real, e está funcionando através do filtro de quem você se tornou, nesta vida em particular.

Afine-se todos os dias com a sua consciência de sua alma, e você sempre será capaz de fazer as escolhas certas na vida.

Quando você sentir a essência de sua verdadeira personalidade, também perceberá quais as opções que existem em sua frente que ressoam melhor com sua orientação interior.

Essa sintonia com as opções certas e seu real potencial, é o segredo para obter o máximo de sua experiência de vida como um ser humano.

Owen K Waters é o autor de Love, Light, Laughter: The New Spirituality.

Owen K Waters
22/07/2018

Owen K Waters é o autor de Liberdade do Espírito: Quatro Poderosos Passos para a Liberdade Espiritual, e está disponível neste link (inglês)https://www.spiritualdynamics.net/ebooks/freedom.htm


Fonte: Spiritual Dynamics
http://spiritualdynamics.net/

Tradução: Adriano Pereira

blogLuzevida@gmail.com

Luz, Amor e gratidão
 ҉

Postar um comentário